Inocentes fazem show histórico de 40 anos de carreira no Studio SP

Banda comemora quatro décadas de trajetória no palco do Studio SP.

Na última sexta-feira (17), os Inocentes fizeram um show comemorativo de 40 anos de carreira no palco do Studio SP.

Em uma apresentação de quase duas horas de duração, a banda formada por Clemente Nascimento (voz e guitarra), Ronaldo Passos (guitarra), Anselmo Monstro (baixo) e Nonô (bateria) tocou músicas de diversas fases da carreira. Indo do repertório mais puxado para o hardcore, como “Aprendi a Odiar”, “Miséria e Fome” e a clássica dobradinha “Medo de Morrer” e “4 Segundos” até faixas mais recentes como “Os Donos das Ruas”, que faz parte do trabalho mais recente do grupo, o EP “Cidade Solidão”, de 2019.

Clemente e Ronaldo. Foto: Jefferson Vicente.

Por volta das 11 da noite, a banda abriu o show com “Não é Permitido”, do álbum Adeus Carne (WEA, 1987), seguido por “Rotina” e “Expresso Oriente”, que fazem parte do clássico Pânico em SP (WEA, 1986), que foi relançado recentemente em uma edição comemorativa de 35 anos.

Sob os gritos de “quarenta, quarenta”, a banda desfilou mais clássicos como “Ele Disse Não”, “Salvem El Salvador”, a versão de “São Paulo”, do 365 e “Garotos do Subúrbio”, faixa que o NEXP registrou especialmente para o Instagram.

Em todo show comemorativo, os Inocentes costumam trazer alguns convidados que fizeram parte da história da banda e dessa vez não foi diferente. Com a presença de Ariel Uliana Jr., vocalista entre 1982 e 1983, a banda tocou “Restos de Nada” e “Desequilíbrio”, algumas das primeiras composições de Clemente.

Ariel Uliana Jr., ex-vocalista dos Inocentes e peça fundamental para a história do Punk Brasileiro. Foto: Jefferson Vicente.

Em seus instantes finais, a banda não deixou o público parado, emendando “Franzino Costela”, regravação da banda Sex Noise, que faz parte do álbum “O Barulho dos Inocentes” (Abril Music, 2000), os clássicos “Cala a Boca” e “Pátria Amada” – canção que deveria ser o nosso hino nacional oficial – e finalizando com “Pânico Em SP”, “Não Acordem A Cidade”, “Blitzkrieg Bop”, dos Ramones e “I Fought the Law”, do The Clash no bis. Bandas que são influências diretas do grupo.

Márcio Souza (46 anos), acompanha os Inocentes desde a década de 1990 e destacou a importância do punk rock nacional. “Hoje foi a celebração de 40 anos de um estilo de som perseguido pelas grandes camadas da sociedade e que está vivo com as pessoas que fizeram tudo isso acontecer”.

Sobre o show, Souza classifica a apresentação como “memorável” e destaca a participação de Ariel. “Um dos pioneiros da cena e um dos que mais batalham para manter viva essa chama”.

Sob fortes aplausos, os Inocentes desceram do palco do Studio SP por volta da 1 da manhã, finalizando uma noite mágica e fazendo história em um dos palcos mais importantes da música brasileira dos últimos 20 anos. E que felizmente está de volta.

Vale destacar também a ótima discotecagem de Luiz Thunderbird. O ex-VJ, apresentador e vocalista dos Devotos de Nossa Senhora de Aparecida tocou o melhor do punk rock e da new wave nacional e internacional.

SETLIST

  1. Não É Permitido
  2. Rotina
  3. Expresso Oriente
  4. Nada de Novo no Front
  5. Aprendi a Odiar
  6. Ele Disse Não
  7. Vermes
  8. (Salvem) El Salvador
  9. Medo de Morrer
  10. 4 Segundos
  11. Escombros
  12. São Paulo (365)
  13. Garotos do Subúrbio
  14. Miséria e Fome
  15. Intolerância
  16. De Bar em Bar
  17. Restos de Nada (c/Ariel)
  18. Desequilíbrio (c/Ariel)
  19. Os Donos das Ruas
  20. Franzino Costela (Sex Noise)
  21. Cala a Boca
  22. Pátria Amada
  23. Pânico Em SP
  24. Não Acordem a Cidade
  25. Blitzkrieg Bop (Ramones)
  26. I Fought the Law (The Clash)

Confira algumas fotos feitas durante o evento.

Matéria e imagens: Jefferson Vicente.

 

 

 

 

 

 

1 Comentário

  1. Noite épica! Inocentes: Uma banda de 40 anos , com vigor de 18. Excelente participação do Ariel , que é um ícone da cena. A cereja do bolo foi a discotecagem do Thunder, que com todo o seu vasto conhecimento musical, só tocou pérolas do Underground e clássicos do Punk e Pós Punk. Sensacional! Fui embora com a alma lavada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*