Dia da Mentira e as histórias que enganaram o jornalismo

Hoje é dia primeiro de abril, nacionalmente conhecido como Dia da Mentira. Em tempos de fake News, relembramos aqui algumas das vezes em que o jornalismo foi enganado.  

Histórias mentirosas, manipulações e informações distorcidas são uma ameaça constante à luta pela checagem de fatos e pelo bom jornalismo. As fake news operam de diversas maneiras: algumas são divulgadas justificando acontecimentos atuais, mas são com datas antigas, outras são de outros países, outras são completamente inventadas.

Notícias falsas já causaram memes, influenciaram eleições e até destruíram vidas, algumas vezes literalmente. Como disse Olga Yurkova, uma jornalista num TED Talk em 2018:

 “Se uma história é demasiadamente emocionante ou dramática, provavelmente não é real. A verdade é geralmente entediante”.

E muitas dessas histórias são de fato emocionantes, por exemplo a história do fotógrafo brasileiro da ONU, com milhares de seguidores no instagram e uma incrível jornada de superação. O fotógrafo, chamado Eduardo Martins, publicava foto de guerras e conflitos armados, em agências no mundo inteiro e emplacava matérias em veículos renomados, além de manter contato mais direto com várias mulheres pelas redes sociais. Porém, o tal fotógrafo brasileiro nunca existiu, ao ser desmascarado pela jornalista Natasha Ribeiro, colaboradora da BBC Brasil.

Reprodução Instagram

Sinceramente, o Brasil é expert nisso. Desde memes completamente inventados, que renderam boas risadas aos brasileiros, até boatos surgidos na internet que causam consequências duradouras na vida das pessoas. 

Um dos casos chocantes e dilacerantes, em que essas histórias inventadas chegaram a níveis agressivos, foi em 2014. No Guarujá, litoral de São Paulo, Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, foi agredida após um falso boato que surgiu na internet. Os rumores publicados por um blog do Guarujá, com milhares de curtidas, afirmavam que Fabiane sequestrava crianças para realizar magia negra. A história possui algumas controvérsias, mas Fabiane morreu por traumatismo craniano ao ser confundida com a suposta sequestradora. Essas informações foram resgatadas de acordo com matéria da Folha de S.Paulo

Já os casos mais cômicos, viram memes e são lembrados por muito tempo, como o da Grávida de Taubaté. Em 2012, uma mulher chamada  no interior de São Paulo, na cidade de Taubaté, alegava estar grávida de quadrigêmeas. Ela foi ao programa Hoje Em Dia e até ganhou diversas fraldas Pampers para os bebês. Mas era tudo mentira que foi descoberta pela Chris Flores, que suspeitou da barriga extremamente grande e “meio estranha”.

Já a Globo Filmes, começou a preparação de um filme baseado na história de vida sofrida de Joana D’Arc Félix de Sousa, de 55 anos, uma professora que “subiu na vida”: vindo de uma família pobre no interior de São Paulo ela teria morado em Cambridge e estudado em Harvard. Porém, após entrevista com o Estadão, eles checaram que o certificado era falso e a história uma mentira. O filme já tinha até a atriz protagonista: Taís Araújo, conta reportagem da EXAME.

Joana D’Arc. Reprodução Youtube.

Outro caso mais recente já na no contexto de pandemia e incessantes buscas de curas para o Covid-19 beira o cômico e o preocupante, apesar de não ter enganado o jornalismo, nessa situação: o prefeito de Itajaí, em Santa Catarina, afirmou que a cidade iria iniciar estudos para fazer uso de ozonioterapia por via retal. É um debate amplo, apesar de não existirem comprovações científicas sobre esse tipo de terapia, confira mais informações na matéria do UOL. De qualquer forma, a fala foi motivo de memes no Twitter.

Brincadeiras e memes à parte, aqui no NEXP, como jornalistas e pessoas que se importam com a verdade, nós aconselhamos SEMPRE, a verificar a informação, a fonte, a data, e ficar de olho para não cair nas grandes mentiras produzidas. E um bom dia da mentira.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*