Confira a crítica de Invocação do Mal 3 – A ordem do Demônio

Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio conta a história de Arne Johnson que após cometer um homicídio, declarou “possessão demoníaca” no tribunal. Um curioso e incrível caso do acervo do casal demonologista  Ed (Patrick Wilson) e Lorraine Warren (Vera Farmiga). Os Warren farão de tudo para ajudar Arne e todos envolvidos na situação, lutando pela alma de um garoto, viajando entre o real e o oculto e lidando com um dos demônios mais fortes da história do casal.

Invocação do Mal 3, A ordem do Demônio era um filme muito aguardado pelos fãs do universo do Terror, dessa vez com uma direção diferente dos dois filmes anteriores da franquia, Michael Chaves (A Maldição da Chorona) foi quem dirigiu a produção, com roteiro de James Wan, diretor em Invocação do Mal 1 e 2. A produção foi guardada devido a pandemia, sendo lançada apenas em 2021 com algumas finalizações de efeitos especiais. E claro, o filme é baseado em fatos reais.

Esqueça tudo o que você viu em filmes de terror anteriormente! Invocação do Mal 3, A ordem do Demônio, destaca-se como uma produção espetacular e assustadora, e os clichês como sustos já esperados, sono ou história confusa, jamais se encaixam na produção. Ed e Lorraine Warren (Patrick Wilson e Vera Farmiga) estão de volta em mais um capítulo da franquia Invocação do Mal após cinco anos do lançamento do segundo filme.

Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio: Vera Farmiga, Ruairi O'Connor, Patrick WilsonAs diferenças na produção já podem ser sentidas logo em seu início, com uma cena de exorcismo no primeiro take, em que  David Glatzel (Interpretado por Julian Hilliard) está sendo exorcizado por um padre e com a presença dos demonologistas. Uma criança possuída e um demônio transferido para seu cunhado, presente no exorcismo, e que pediu para que o levasse, ao invés do garotinho, mesmo que Ed Warren implorasse para que Arne não conversasse com a besta, ativando a curiosidade e o interesse do espectador para o resto da trama. 

Ed e Lorraine Warren (Patrick Wilson e Vera Farmiga) já enfrentaram muitos casos curiosos ao longo de sua carreira como demonologistas, espíritos inumanos, a boneca Annabelle e muitos outros documentados até pelo Vaticano. Um em específico, nos anos 80, chamou atenção da mídia internacional. O primeiro caso da história dos Estados Unidos, em que um réu alegou nos tribunais ter cometido um crime, devido a uma possessão demoníaca. O réu?  Arne Johnson (Interpretado por Ruairi O’Conor). Momentos de apreensão, um suspense real e muita tensão durante todo o filme, ainda mais quando o casal Warren está fora de uma casa assombrada ou um objeto específico, em Invocação 3, o mal pode estar em todos os lugares e aparecer em diversas formas ou atacar em diferentes direções. Apesar de uma história famosa nos Estados Unidos, Michael Chaves focou em contar mais sobre os protagonistas da franquia, como se conheceram, a ligação romântica do casal e que as investigações paranormais estão cobrando um preço físico e mental dos demonologistas.

Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio: Patrick Wilson

Em A ordem do Demônio, Ed Warren trava batalhas com demônios desde a primeira cena, enfrentando-os também no necrotério quando um cadáver desaparece e é manipulado para ir ao encontro de Lorraine. A senhora Warren está mais apurada com seu incrível dom, mas cada vez menos, consegue sair das viagens paranormais. E a mestra satanista, que comanda a mente de Arne, responsável por criar o objeto para atrair demônios, aparece poucas vezes, mas em todas, está assustadora e seu fim, é a cena mais chocante de todo o filme. A conclusão é que Invocação do Mal 3, A ordem do Demônio não fica atrás de nenhum filme da franquia e da saga dos outros dois já produzidos, é inovador entre os demais e conta muito bem sua história.

A busca pela conclusão de que Arne estava realmente possuído é uma reviravolta, uma descoberta de maldição realizada por uma seita, oferecida à família Glatzel e com tons de magia negra. Os personagens se unem aos Warren pela busca de respostas, a namorada de Arne, Debbie Glatzel (Interpretada por Sarah Catherine Hook),  O cético sargento Clay (Interpretado por Keith Arthur Bolden) e os personagens presentes em todas as sagas, Padre Gordon (Interpretado por Steve Coulter) e Judy Warren (Sterling Jerins).

Alívios cômicos dentro da produção, são exatamente milimétricos e com contexto, são eles Annabelle e o poder sobrenatural de Lorraine, por último, o remédio de Ed dentro do relicário. Poucos traços de quebra cômica e ideais para a intensidade dentro do filme. Invocação do Mal 3 não teve tempo para improvisos, cenas de descarte ou um enredo com cenas decifráveis, uma viagem entre o sobrenatural, oculto e realidade, com excelentes transições entre dia e noite e explorando menos a visualização de monstros e mais a obscuridade por trás de todo o fato. A principal reviravolta é o ex-padre Kastner (interpretado por John Noble) ser pai da vilã e bruxa ocultista (interpretada por Eugenie Bondurant).

Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio

O ponto negativo a se explorar: A ordem do demônio deixa muitas vezes o lado aterrorizante cair em contestação, algumas transições de cenas e aumento da trilha sonora sem conclusão de efeito. Em sua conclusão, falta o pós créditos, algo esperado por todos os fãs e o saber como estão os protagonistas da verdadeira história, apenas com a legenda final e fotos rápidas e sem graça. E o diretor Michael Chaves, foi contestado em entrevista ao portal americano NME.

“Na verdade, tivemos uma cena pós-créditos e estou feliz por não termos incluído, porque às vezes parece que você está sendo amarrado ao próximo. Vou mantê-la em mistério, porque pode estar voltando de outra forma. Ficamos muito orgulhosos com o final e parecia um desfecho menos aberto para a história. Não quer dizer que não exista uma porta aberta para muitos outros casos e aventuras dos Warren.” afirmou Chaves. 

Curiosidades e Referências

O Padre Kastner (John Noble) foi o verdadeiro responsável por expor o culto: “Os Discípulos do Carneiro” de Annabelle (2014) e Annabelle 2 – A Criação do Mal (2017) 

Houve uma benção ao set de filmagens no primeiro dia de produção, o responsável foi o Bispo Bryan D. Ouellette, com assistência das freiras, Irmã Maximilian e Irmã Mary Joan da Igreja Católica de Santo Nicolau. O Bispo Ouellette abençoou os outros sets, palcos e o escritório de produção, mas mesmo assim, houve relatos de sangue aparecendo nas páginas do roteiro de Vera Farmiga. A produção teve 350 garrafas de água benta da Igreja Católica de Santo Nicolau como presentes para a equipe.

A produção é da Warner Bros. Pictures e NEW Line Cinema com parceria com Atomic Monster. O trio já estava presente nas edições anteriores da franquia e devem estar na continuação da saga. O filme está nos cinemas (durante a conclusão da crítica) e disponível para aluguel de assinantes HBO GO.

Ed e Lorraine Warren
O verdadeiro casal Warren
Os verdadeiros Arne Johnson e Debbie Glatzel
Os verdadeiros Arne Johnson e Debbie Glatzel

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sobre Klaus Simões 133 artigos
Jornalista pela FIAM, Técnico em Comunicação Visual pela Etec de São Paulo, especialista em coberturas de eventos, esportivas e musicais, geek e alternativo. Responsável pelo NEXP Podcast.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*