Coluna: O jornalismo independente ignorado por pessoas da mídia

Olá meus caros guerreiros do caos, hoje vamos falar de subcelebridades, muita estrela e pouco brilho, agendas limitadíssimas e lotadas de vento, mesmo o profissional estando longe da grande mídia. 

Um veículo independente é uma engrenagem, depende de seus profissionais para girar, muitas vezes sem receber um centavo por isso, amor, portfólio, dedicação e muitas coisas regam a semente do jornalismo independente. Muitas vezes isso acontece, devido às empresas de comunicação não se importarem com o profissional pela qualidade dele e sim pela indicação de um amigo ou nome da instituição que se formou, indicação ou parentesco com alguém importante. 

Os sites de entretenimento, canais do Youtube, podcasts ou qualquer meio de comunicação, precisa de uma atenção especial de quem está na grande mídia, pessoas performáticas, celebridades ou subcelebridades, é de suma importância que uma pessoa já conhecida, olhe com carinho para essa mídia alternativa! Não adianta ir em podcast em vídeo, o que é bem estranho, já que o formato é em áudio e estão destruindo esse formato tão lindo, não adianta ir em lugares que exploram os views e nada mais, maltratam convidados ou oferecem um serviço financeiro pela entrevista. 

Muitas vezes nem na mídia a pessoa procurada está, muitas vezes nem é respondido o pedido de entrevista de um meio de comunicação independente, apenas por ele ser “pequeno e insignificante” por não ter 1 milhão de seguidores no instagram, onde se quer os assessores ou artistas conferem o trabalho profissional que é feito e muitas vezes, infinitamente melhor que alguém com views incontáveis. 

Muitas vezes a arrogância é maior que a própria empresa/artista, vide a CCXP que responde e-mails dizendo que o veículo não tem relevância, mas como ela vai ter um dia se não é cedido espaço? Se os artistas, personalidades da mídia, não aceitam dar entrevistas? Muitos inclusive que não sabiam nem escrever, ler, não sabiam nem apresentar um programa de forma correta e foram crescendo e se desenvolvendo com o tempo e viraram grandes nomes da comunicação, consagrados, mas esquecem que já foram eles do outro lado, sem espaço e sem acreditarem neles.

E qual conclusão de hoje? Não temos, pois a estrela de alguns não tem brilho, não tem luz, não tem alma, apenas surfa na onda do popularismo e não tem nenhuma história para se contar.

Acredite no independente, o apoie, compartilhe e aprecie profissionais que trabalham duro para alcançar seus objetivos.

Sobre Klaus Simões 177 artigos
Jornalista pela FIAM, Técnico em Comunicação Visual pela Etec de São Paulo, especialista em coberturas de eventos, esportivas e musicais, geek e alternativo. Responsável pelo NEXP Podcast.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*