Coluna: Comercialização Nerd! Ficou mais caro ser Geek no Brasil

Qualquer editoria de entretenimento, cultura e diversos em que você procure por aí, sempre haverá uma notícia relacionada com o universo pop, mas a informação será de pesar aos apreciadores e consumidores geeks. Coisas como “os jogos vão ficar mais caros” ou “a culpa da violência é dos games” são rotineiros, claro que vamos destrinchar os motivos agora. 

Você comemorou o Dia da Toalha? Pois bem, pegue sua toalha para enxugar as lágrimas. Alguns eventos como Game XP e CCXP tem preços abusivos! Claro que muita gente diz que o custo de manutenção, funcionários e etc.. mas os preços dos ingressos são realmente absurdos, mas tem quem pague, então todos custeiam o valor mais alto e sendo eventos nacionais com referências aos originais pelo mundo.

O Brasil é um dos países do mundo que mais se paga impostos, para que você importe algo dos Estados Unidos é algo bem doloroso ao seu bolso, os Funkos, muitas vezes raros, ganharam mais visibilidade e com isso mais e mais preço, simplesmente ninguém definiu a base que seria paga, uma loja muito famosa lançou e todos foram na mesma onda. Funkos a cada mês, ficam mais belos e com novidades, mais caros e mais difícil sua chegada ao Brasil, aquela camiseta de banda fora do comum ou uma belíssima camiseta de uma série, diferente das demais vendidas, não tem aqui né? Ser Geek é ser alternativo e fora do senso comum, então a indústria que é gerida por pessoas sem conhecimento nesse universo, entende isso como errado. 

Saiba como chegar ao evento Comic Con Experience 2019 no São Paulo Expo - REVISTA DO ÔNIBUS -

Os jogos…? O PC gamer adiado mais uma vez, uma webcam, um microfone, um abajur ou luz de led, um mouse, fone, teclado, todos nunca podem ser o que as pessoas desejam, os preços são altos e se você jogar um game de ação e combate, a certeza que um sensacionalista que nunca se quer pegou em um joystick, irá dizer com ódio que mortes acontecem por causa dos jogos, isso é recorrente, são pagos muitas vezes para falar mal de jogos, cultura pop, denigrir a imagem de quem realiza cosplay, tratar como “idiota” quem consome animes. mangás e afins e tudo isso está relacionado. 

Empresas como a Magalu comprando o Jovem Nerd, publicidade massiva dentro dos conteúdos geeks, ah… publicidade sem ser do universo pop, como tudo no Brasil, virou uma forma de arrancar dinheiro de quem gostaria de ter uma simples decoração geek. As marcas que nunca apostaram no segmento, não querem uma iniciativa de aproximação, visam o lucro! E as empresas independentes, famosas no meio dos nerds, as barracas do Anime Friends, todos ficam para trás pelos próprios consumidores achando que a Magalu se importa com o Nerd. 

Ser Geek no Brasil é caro, uma cultura desvalorizada, artistas nacionais não têm voz, não tem vez, você ser alternativo causa estranheza, para o Nerd, Geek, Pop, é sempre mais difícil e mais complicado o caminho. É caro, muito caro e em breve alguém vai tentar comprar você. 

Sobre Klaus Simões 177 artigos
Jornalista pela FIAM, Técnico em Comunicação Visual pela Etec de São Paulo, especialista em coberturas de eventos, esportivas e musicais, geek e alternativo. Responsável pelo NEXP Podcast.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*