72 Seasons: Confira o review do novo álbum do Metallica

Metallica 72 seasons

O Metallica dispensa qualquer apresentação, é uma das maiores bandas de rock e heavy metal de toda a existência da música, há quem diga que é a melhor, mas isso fica para um outro dia. A banda norte-americana lançou ao mundo em 2023, o seu 11º álbum de estúdio, o esperado 72 Seasons, mostrando a mesma vitalidade de 36 anos atrás, quando a banda lançava seu primeiro trabalho, mas agora com mais experiência e em outro patamar.

O nome escolhido: 72 Seasons

O frontman da banda, James Hetfield, explicou nas redes sociais, a razão do álbum se chamar 72 Seasons. “72 estações saiu de um livro que eu estava lendo sobre infância, basicamente, e classificando a infância como um adulto. E 72 estações são basicamente os primeiros 18 anos de sua vida. Como você evolui, cresce, amadurece e desenvolve suas próprias ideias e identidade depois dessas primeiras 72 estações do ano?.” 

Produção de 72 Seasons

A banda trabalhou em seu próprio estúdio, em San Rafael, cidade da Califórnia, com a produção de Greg Fidelman, produtor que esteve presente nos álbuns Death Magnetic e/Hardwired…to Self-Destruct do Metallica e agora esteve na produção de 72 Seasons. Fidelman já trabalhou na engenharia de som de bandas como Slayer, Black Sabbath, Red Hot Chili Peppers, Bush, Audioslave e Marilyn Manson. 

O lançamento de 72 Seasons foi em 14 de abril de 2023 pelo selo da Blackened Recordings Inc., braço da Universal Music. Possui 12 músicas com duração de 1h e 17 minutos. A banda mantém os integrantes a longos anos, mas nunca é demais relembrar: James Hetfield no vocal e guitarras, Kirk Hammett nas guitarras, Robert Trujillo no baixo e Lars Ulrich na bateria. 

Metallica 72 seasons

Análise do álbum 72 Seasons do Metallica

Chegamos ao momento de fazer a análise do álbum da banda, agora que todas as informações foram passadas, vamos destrinchar juntos este novo trabalho. Desde o primeiro single lançado, havia uma expectativa muito grande para ouvir de uma vez todas as canções e ficar sonhando com a apresentação ao vivo. A encantadora “Screaming Suicide”, um dos singles ao lado de Lux Æterna e  If Darkness Had a Son, se consolidou como a melhor música de todo o disco.

A expectativa e a realidade são diferentes, apesar de singles muito bons, o álbum ainda deixa uma dúvida sobre sua qualidade quando escutado pela primeira vez, talvez a sede de hits faça isso, já na segunda ouvida é possível identificar que a bateria de Lars está com o prato um pouco mais alto que o comum de outros trabalhos, mas a voz de James está em uma grande fase. 

É um excelente álbum, mas se dada uma boa competição, dificilmente ficaria em primeiro lugar, é um álbum para você escutar no carro que não vai se distrair tanto, mas é muito bem produzido, com músicas interessantes e cativantes, só não empolga demais, ele está na média aceitável do Metallica, uma qualidade que dificilmente uma banda de metal conseguiria fazer, mas para a mega banda, poderia ser 5% melhor. 

Algumas músicas como as duas primeiras, 72 Seasons e Shadows Follow, são muito parecidas, entregam a ideia de construção sólida do disco, seguindo uma ideia sonora, mas são de verdade, muito parecidas mesmo instrumentalmente. A música menos interessante é Crown of Barbed Wire, 7ª canção e o destaque fica por conta da 10ª Too Far Gone? – Já a 11ª Room of Mirrors, possui o melhor solo do disco. 

A última faixa do disco é “Inamorata” música longa, com 11min e 10 segundos de duração, uma das melhores canções do disco todo! É importante ouvir inteira, pois seus riffs mudam conforme avança a música, as entonações de James também, com dois solos excelentes, é uma incrível canção, poderia fazer parte do álbum de 1991, Metallica (Black Album) sem a menor dúvida.

72 Seasons entra na prateleira de discos do Metallica com o título de bom e comum, um simples que dá certo, sendo melhor que St. Anger, Kill ‘Em All (mesmo com Seek & Destroy) e Death Magnetic. É um álbum que pode ser o ‘Álbum da vida’ de fãs mais novos da banda, que pegaram um lançamento completo. O sentimento de ser o seu álbum, o melhor, o mais importante e está tudo bem achar isso, isso acontece quando se está em uma fase da vida e uma banda acompanha ela. 

Este trabalho é importante para explorar as memórias de início da banda, lembrando muito ...And Justice for All (1988), com o ainda baixista Jason Newsted, sacaneado com o baixo em tons menores, mas em geral o álbum é parecido, mas não igual, ok?

72 Seasons chega em um momento de incertezas de James Hetfield

Durante as apresentações do Metallica no Brasil em 2022, o show de Belo Horizonte foi marcado por um desabafo de James:

“Eu tenho que dizer a vocês que eu não estava me sentindo muito bem antes de vir para cá. [Eu estava] me sentindo um pouco inseguro, como se eu fosse um cara velho, que não pode mais tocar [guitarra] — toda essa merda que eu digo a mim mesmo na minha cabeça. Então eu conversei com esses caras, [membros da banda] e eles me ajudaram — simples assim. Eles me deram um abraço e disseram: ‘Ei, se você está lutando no palco, nós o protegemos’. E eu te digo, isso significa o mundo para mim. E vendo vocês aí, eu… eu não estou sozinho. Eu não estou sozinho, e vocês também não. 

O álbum pode até ser comum, bom e simples, mas traz a força do Metallica, há 40 anos na estrada, lançando inéditas, lotando estádios e com esse novo trabalho, vai lotar mais ainda. Velhos ou não, o Metallica ainda tem uma qualidade que pouquíssimas bandas possuem ao lançar um trabalho após tantos anos de carreira. 

72 Seasons traz importante mensagem em canção

Screaming Suicide é a melhor música do álbum, falamos disso por aqui, mas por quê? A 3ª canção do disco fala sobre o suicídio, James em um comunicado explicou a importância desta música. Além da sonoridade, é ímpar e pode ser repetida por 10 vezes sem cansar. 

“‘Screaming Suicide’ fala sobre a palavra tabu que é o suicídio. A intenção é abrir uma comunicação sobre a escuridão que sentimos internamente. É ridículo pensar que devemos negar que temos esses pensamentos. Em algum momento, eu acredito que a maioria das pessoas já pensou sobre isso. Enfrentar isso é falar o que não é falado. Se é uma experiência humana, nós deveríamos poder falar sobre isso. Você não está sozinho.”

https://www.youtube.com/watch?v=ZDyDpdFZHBo

Separamos o faixa a faixa com notas para cada uma das músicas presentes em 72 Seasons. 

  1. 72 Seasons – 6.5
  2. Shadows Follow – 6.0
  3. Screaming Suicide – 10
  4. Sleepwalk My Life Away – 6.5
  5. You Must Burn! – 6.5
  6. Lux Æterna – 9.0
  7. Crown of Barbed Wire – 5.5
  8. Chasing Light – 6.0
  9. If Darkness Had a Son – 7.5
  10. Too Far Gone? – 7.0
  11. Room of Mirrors – 7.5
  12. Inamorata – 9.0

Avaliação geral: 7.5

Duração total: 77:10

Metallica 72 Seasons

Sobre o Review de 72 Seasons – Metallica

A avaliação é individual e de responsabilidade do profissional comunicador que a fez, atrelado a ele a opinião e análises. A opinião é de responsabilidade do autor, sendo o NEXP um espaço de jornalismo independente, abrindo espaço para a veiculação da análise.

Afim de ouvir um podcast sobre música? Conheça o programa musical do NEXP Podcast, especiais e entrevistas exclusivas.

Para escutar nossos episódios, escolha seu agregador favorito de podcast e acompanhe com exclusividade. iTunes/Apple | Amazon Music | Google Podcasts | Deezer |  Amazon Music e Breaker, Castbox, Pocket Casts, RadioPublic e no Spotify. Confira mais episódios em nosso página sobre o Podcast.

Sobre Klaus Simões 446 artigos
Jornalista pela FIAM, Técnico em Comunicação Visual pela Etec de São Paulo, especialista em coberturas de eventos, esportivas e musicais, geek e alternativo. Responsável pelo NEXP Podcast.