O que a BGS deve melhorar para edição de 2023?

BGS o que esperar para 2023

A edição da Brasil Game Show (BGS) em 2022 acabou e deixou saudades nos milhares de visitantes que passaram pelo evento no Expo Center Norte, em São Paulo, nos dias 06 a 12 de outubro. A edição deste ano, ganhou um dia a mais para cada ano em que não foi possível organizar a feira, devido a pandemia. Saindo de 5 para 7 dias, oferecendo uma maior oportunidade de aproveitar as experiências.

Entre as atrações do evento, grandes espaços ganharam destaque, como o estande do Banco do Brasil, patrocinador master da BGS e presente no cordão oficial do evento, com experiências boas, distribuindo a bola da copa e outros brindes. O melhor estande era o do Street Fighter 6, devido ao lançamento oficial do jogo. 

Espaços instagramaveis, possibilidades de brindes, experiências e um espaço gigantesco à disposição dos gamers e fãs. 

Confira como foi a cobertura da BGS 2022 pelo NEXP, em um podcast exclusivo!

O que deveria melhorar para a próxima edição?

Vamos lembrar que as atrações e empresas presentes não são apenas de responsabilidade da organização, as marcas optaram por estar ou não no evento. Alguns nomes foram ausências sentidas como: Xbox, Magic The Gathering, Lojas Americanas, Ubisoft e Epic Games, além de muitos outros. 

Agora é com vocês, fãs do mundo gamer. Pedir nas redes sociais, cobrar as marcas a presença que você gostaria de ver. Lembre-se que seu dinheiro é bem-vindo para todos os jogos, eles estarem presentes no evento, seria um gesto de respeito e carinho pelos admiradores. 

E pensando na melhor experiência do gamer, o arcade e o corredor indie poderiam ganhar mais destaque, ficando próximos ao palco de eSports. Uma passagem para o arcade, ser por dentro do corredor indie e assim você conhecer melhor os jogos independentes e aí você sair e ver os clássicos games e jogá-los. 

Já que falamos em palco, além dos jogos e do troféu BGS, imagina só um mega evento de eSports sendo disputado em sua finalíssima no evento? Trazer um importante campeonato para a feira, além de outras opções de games, disputas de FIFA, eFootball Pes, Free Fire, Valorant, CS:GO e LOL, entre outros. Fazer do palco, um centro de atenções, uma mega arena!

Filas

Uma das maiores reclamações dos participantes, foram as imensas filas, com horas e horas de espera para se fazer alguma experiência, eram intermináveis, cansativas e muitas vezes desanimadoras. Talvez manter mais dias de feira como a edição deste ano e diminuir em 30% o número de pessoas presentes no evento, podem animar mais o público a ir ao evento e esperar no máximo 25 minutos de fila. 

Às 18h a WD Black já estava encerrando suas experiências, mas não havia avisos que seria fechado, qual horário seria aberto, muitas pessoas na fila ficaram sem participar, com encerramento repentino. Um horário que indicasse o encerramento da fila, abertura, poderia ser um diferencial por parte dos expositores. 

Experiências

Algumas pessoas não conseguiram participar da Twitch e Amazon, eram apenas 200 senhas por dia, muitas pessoas ficaram sem a chance de estar no evento. As senhas eram presença na Playstation, não havia nenhum informativo que para participar do cockpit de Gran Turismo 7, era necessário senha, faltam placas e mais comunicação, mas a fila era muito bem-organizada pela equipe. 

O único problema ocorreu com um funcionário com a camiseta da cor cinza com o logo da Playstation, na ocasião sem identificação, dizendo que não era possível usar o simulador e disse “vamos ter que tirar vocês” mesmo 20 minutos do público geral e já aberto para quem entraria 1h antes. 

BGS: Playstation
Estande da Playstation na BGS | Foto: Klaus Simões

A Lenovo pelo terceiro ano consecutivo, tinha uma limitação de comunicação, expositores que não mostravam interesse em conversar com a imprensa e os brindes desapareceram já no penúltimo dia, mas algumas pessoas ainda conseguiam graças a um bom contato. Sendo assim um dos estandes mais bonitos em estética e feio em organização, gestão e interação.

Um espaço para um SAC, com um formulário de sugestões e reclamações cairia como uma luva. Assim alguns abusos de expositores seriam identificados e melhorados já durante o evento. Claro que isso não deve partir da própria BGS, mas de cada expositor presente, prezar pelo público, pelo fã e pelo lucro que eles obtêm, que sem o público ali presente, nada seriam. 

Se algumas experiências fossem em dobro, utilizando espaços vazios no estande, seria de grande valia para quem está a fim de participar das atividades. E as empresas, se fizeram brindes exclusivos, dêem ao povo, porque levar de volta né?

BGS: Lenovo
Estande da Lenovo na BGS | Foto: Klaus Simões

Acessibilidade

Quem esteve presente na BGS viu diversos colaboradores PCD presentes na feira, isso é algo imensamente genial, inclusivo e necessário, mas tiveram dificuldade para ir embora. Essa foi uma reclamação que presenciamos de dois a três colaboradores, que tiveram problemas para locomoção até sua casa.

Sobre Klaus Simões 428 artigos
Jornalista pela FIAM, Técnico em Comunicação Visual pela Etec de São Paulo, especialista em coberturas de eventos, esportivas e musicais, geek e alternativo. Responsável pelo NEXP Podcast.