Ouvimos: Bullet For My Valentine o novo álbum que leva o nome da banda

Em uma tentativa de retornar aos momentos mais pesados e intensos do metal, o Bullet vem com 10 músicas curiosas no disco que leva seu próprio nome. “Bullet For My Valentine” inicia com a confusa “Parasite” música que faz um Medley chiado com grandes sucessos, até começar de fato a faixa, mas essa parte poderia ser uma faixa a mais, separada, apenas de introdução. 

Os berros do vocalista Matthew Tuck estão em dia, algo que nos dois últimos álbuns não foi tão explorado. Com mais de vinte anos de estrada, o Bullet For My Valentine chega para emplacar mais um disco de Heavy Metal, a banda do País de Galês, lançou o sexto álbum de estúdio. 

Rainbow Veins foi o Single do álbum lançado pela Spinefarm Records em novembro de 2021. Disco que teve o lançamento adiado devido a pandemia.

Confira o comunicado:

O motivo para o adiamento tem relação com a pandemia. “Infelizmente, devido a atrasos de fabricação relacionados ao COVID, não temos escolha a não ser adiar o lançamento de nosso álbum autointitulado para 5 de novembro. É importante para nós que todos tenham a oportunidade de vivenciar este álbum ao mesmo tempo, então, por mais decepcionante que seja ter que esperar um pouco mais, prometemos que valerá a pena.

Queremos agradecer a todos por mostrarem seu apoio a este álbum até agora! Fiquem ligados para mais notícias empolgantes que chegam esta semana”, diz o comunicado.

Músicas destaques:

My Reverie, No Happy Ever After e Shatter

 

Os antecessores ao disco “Bullet For My Valentine” são The Poison de 2005, Scream Aim Fire de 2008, Fever de 2010, Temper Temper de 2013, Venom de 2015 e o último, Gravity de 2018. 

“Bullet For My Valentine” lançamento de 2021 não é melhor que Gravity, empata com Venom e perde sem dúvidas em carisma para os clássicos Fever e Temper Temper. A bateria de Jason Bowld é um grande diferencial neste trabalho. Jamie Mathias completa com o baixo e apoio vocal, com o membro formador e guitarrista principal Michael Paget, o vocalista Matthew Tuck completa as guitarras, grande atributos do solista de algumas canções. 

Álbum: Bullet For My Valentine, Gravadora: Spinefarm Records 

Ano: 2021, 10 músicas, 47min e 47seg

  • “Parasite”
  • “Knives”
  • “My Reverie” +
  • “No Happy Ever After” +
  • “Can’t Escape The Waves”
  • “Bastards”
  • “Rainbow Veins”
  • “Shatter”
  • “Paralysed”
  • “Death By A Thousand Cuts”

Avaliação: 6.5 (critério utilizado com notas de 1 a 10) 

Pontos negativos: Uma faixa a mais poderia ser inserida, separando a parte inicial de “Parasite”. Algumas músicas são boas, como Paralysed, mas o vocal de Matthew é engolido pelo instrumental. Algumas canções são genéricas e parecem já terem sido feitas ou iguais pela banda. Um disco que deixa o fã satisfeito de conteúdo, mas ainda faltou o boom de algo a mais. 

 

 

Em aproximadamente 3 anos o Bullet For My Valentine deve lançar mais um álbum, os fãs podem aguardar uma nova fase, mas antes será feira uma tour mundial de divulgação. Iniciando em 2022 e encerrando em Maio de 2023. 

Refreash: O Bullet For My Valentine esteve presente no Brasil em 2019 na tour mundial de apresentação de Gravity. O Nexp marcou presença como imprensa neste evento. Você pode ler mais, clicando aqui. 

Sobre Klaus Simões 223 artigos
Jornalista pela FIAM, Técnico em Comunicação Visual pela Etec de São Paulo, especialista em coberturas de eventos, esportivas e musicais, geek e alternativo. Responsável pelo NEXP Podcast.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*