ARTIGO: AEW ainda maior com a chegada de CM Punk?

Pro-Wrestling sempre foi algo incrível de se assistir, as performances, os ícones e histórias contadas dentro de um programa, mas é claro que o primeiro nome que vem à mente quando falamos de wrestling é a WWE, considerada a maior de todos os tempos e maior do mundo. Seja pelo patrimônio de seu proprietário Vince McMahon ou pelos nomes que saíram de lá e ganharam destaques universais, The Rock, John Cena, Brock Lesnar, Goldberg, Stone Cold e muitos outros que foram ao mundo do cinema e entretenimento. Um desses nomes marcantes dentro do universo da luta livre é Phillip Jack Brooks, se não se familiarizou, ele é CM Punk,  polêmico, extravagante, amado e odiado, único. Iniciou na empresa ROH, famosa por ser mais alternativa e revelar grandes nomes como Kevin Steen (Kevin Owens) e CM Punk ao universo. ECW foi o próximo desafio de Punk que pelo seu talento e forma de cativar o público entrou no roster principal da WWE em 2005, tinha o público ao seu lado, mas não os gerentes da empresa.

Tony Khan é o proprietário da AEW, também tem em seu império financeiro, o time da NFL, Jacksonville Jaguars e ainda é dono do time inglês, Fulham. A AEW, uma empresa que tem parte totalitária da Turner e TNT Group, inclusive para assistir os shows da companhia, fique ligado na TNT e no SPACE no Brasil. A AEW foi fundada em 2019 junto ao lutador Cody Rhodes, prometendo revolucionar e revitalizar a forma como o Wrestling é praticado e exportado. Seu slogan é Change The World (mudar o mundo). A nova poderosa AEWALL ELITE WRESTLING. Nomes gigantes da luta como os irmãos Dustin Rhodes e Cody Rhodes, Chris Jericho, Sting, Jon Moxley (ex: Dean Ambrose), Christian, Miro (ex: Rusev), Matt Hardy, Mark Henry e Paul Wight (Big Show). Adam Page, Andrade El Idolo (ex: Sien Almas), Brian Cage,, Goldust, Jake Hager (ex: Jack Swagger). Taz, Jim Ross, Billy Gunn e Vickie Guerrero, o anuncer Justin Roberts, completam os nomes extras.

 

CM Punk é considerado um dos maiores da WWE por alguns fãs pelo mundo pelo seu estilo verdadeiro e nunca poupar ninguém dos bastidores, sobre os ringues era inovador e na vida pessoal, algumas polêmicas o rodeavam, mas não ofuscaram sua fama na WWE. Punk se tornou um dos recordistas no principal título da WWE, ficando mais de um ano como campeão. Após um PPV da companhia, o Royal Rumble, Cm Punk já com desentendimentos com nomes fortes na empresa, também frustrado pelo desgaste e não oferecer ao público seu melhor, deixou o pro-wrestling.

“No dia 13 de agosto de 2005, eu deixei o wrestling profissional. No dia 20 de agosto de 2021… eu voltei.” – CM Punk

https://youtu.be/ByAXCjqBzLg

2766 dias após deixar a luta livre, CM Punk movimentou multidões para o que é hoje a maior concorrente da WWE, no AEW RAMPAGE, ressurgiu e voltou ao mundo do wrestling profissional, foram longos sete anos afastado do ringue.

Curiosidade: CM Punk é Straight edge, um estilo de vida vindo do sub gênero do hardcore punk que prega abstinência total de remédios, drogas ilícitas, álcool e o que for prejudicial à saúde. CM Punk é casado com a ex-wrestler da WWE, Aj Lee. Deixou o mundo das lutas em 2015 com uma mensagem à todos em seu twitter:

“Quebre as regras. Seja um lutador. Qualquer sonho é possível se você for corajoso o suficiente para fazê-lo do SEU jeito. Obrigado a todos.”

CM Punk teve o mundo de seus fãs desmoronado, alguns o odeiam até hoje, outros sempre imploraram pela sua volta. Punk assinou com o UFC, realizando apenas duas fatídicas lutas, contra Mike Jackson, UFC 225 em 2018, mas a luta foi anulada pois Jackson testou doping e uma derrota vexatória contra Mickey Gall, Punk foi finalizado com um mata leão no UFC 203 em 2016.

AEW conta com a wrestler brasileira, Tay Conti, destaque no cenário universal da luta livre e que também já fez parte do núcleo de desenvolvimento da WWE. Junto dela, ainda não contratado oficialmente, temos o brasileiro Cezar Bononi, na qual pode conferir sua entrevista exclusiva ao NEXP Podcast, abaixo:

Todos os frustrados, não valorizados, excluídos, os que precisam de desenvolvimento, estão ganhando espaço na AEW, crescendo todos os dias em números nas redes sociais, público e dinheiro, ações da empresa valem muito no mercado, isso se dá pela paralisação no tempo de Vince e da WWE, apostas não interessantes e desvalorização do profissional, brigas e um jeito mais soft de luta livre, não podendo sangue, nem promos com muita violência, uma empresa que se modernizou nos padrões que os fãs de wrestling assistem por ser mais fácil. Todas as segundas e sextas na Fox Sports, a WWE está ao vivo, claro que nomes importantes e muito gigantes ainda estão lá, trabalhando muito duro, mas a gestão foi se auto sabotando.

Só o futuro vai determinar se algum dia a AEW será maior do mundo, se a WWE se sabotará a ponto de findar suas atividades ou reduzi-las, os fãs ganham mais um jeito, um programa, um motivo de acompanhar a luta livre.

Cm Punk em 2004 na ROH

Impact Wrestling (TNA), ROH, NJPW, AAA e Lucha Underground pedem passagem também no universo do Wrestling, possuem qualidade e grandes nomes. As indies estão sempre produzindo grandes shows e revelando grandes nomes! No Brasil, temos a BWF, maior empresa da América Latina, com nomes que poderiam superar lutadores de AEW e WWE. Dois lutadores já estiveram presentes no NEXP Podcast, Max Miller e Toko Infernal.

 

Sobre Klaus Simões 177 artigos
Jornalista pela FIAM, Técnico em Comunicação Visual pela Etec de São Paulo, especialista em coberturas de eventos, esportivas e musicais, geek e alternativo. Responsável pelo NEXP Podcast.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*